Com três jogos, Vital chega a metade de gols da temporada 2020; o que mudou?

18
Mateus Vital Corinthians
Mateus Vital Corinthians
Publicidade
Mateus Vital Corinthians
Mateus Vital Corinthians

Mateus Vital começou muito bem a temporada 2021 no Corinthians e com apenas três jogos disputados chegou a metade dos gols marcados durante toda a temporada 2020.

Vital foi nome fundamental do Corinthians no empate contra o Palmeiras por 2 a 2 (primeiro gol corinthiano e assistência) e na vitória contra a Ponte Preta (gol de empate e pênalti sofrido).

Publicidade

Nos 34 jogos em que atuou na temporada 2020, o camisa 22 fez quatro gols e não deu nenhuma assistência.

O que estaria por trás da evolução de Vital?

Dá para perceber o meia bem mais confiante nestes primeiros jogos de 2021. De acordo com o Footstats, ele é o sétimo jogador com mais finalizações certas no Paulistão (quatro no total). O líder no quesito é Fabricio, do Mirassol, que tem seis. Vital divide a artilharia da competição com os são paulinos Gabriel Sara e Pablo, Vitinho, do Red Bull Bragantino, e Fabricio, do Mirassol.

Em entrevista coletiva após o empate contra o Palmeiras, o técnico Vagner Mancini elogiou o atleta e diz que a mudança de posicionamento em campo ajuda a explicar a melhora de Vital.

“Desde que eu cheguei ao Corinthians ele tem melhorado, até porque eu converso muito com os atletas, já conversei muito com o Mateus, desta grande capacidade técnica e força e velocidade que ele tem, mas que precisa ser canalizado para um jogo mais específico. Não pode se desgastar como vinha acontecendo em parte do campo onde não representa nada tática e tecnicamente”, disse.

Em entrevista no último sábado ao Globoesporte.com, Vital disse que mudanças de alguns hábitos o ajudaram a crescer de produção. Com a ajuda da nutricionista do clube, ele cortou besteiras da alimentação e adotou dieta rigorosa.

“Antigamente, minha alimentação era bem ruim. Hoje eu mudei ela drasticamente porque sei que isso iria ajudar eu estar 100%, estar bem, ter mais força, ter mais fôlego, físico para suportar os 90 minutos. Botei na minha cabeça que isso seria importante. Não é fácil, é difícil. As besteiras são coisas gostosas, mas que fazem mal. Mas agora estou focado e tenho que seguir”, contou.

O meia ainda passou a contar com auxílio de um personal trainer nos períodos de folga no clube.

“Os trabalhos no Corinthians são bem legais, te deixam bem para a temporada. Mas, quando tem folga, tem um cara que me acompanha, para não ficar parado. Folga não existe. Nos dias vagos, eu faço um trabalho na academia. No Corinthians faço uns trabalhos antes e pós treino que me ajudam também”, disse.

 

Publicidade