Bandeira de Mello avalia continuidade do trabalho financeiro no Flamengo e cobra atenção da atual diretoria

1601
Publicidade

De 2013 a 2018, o Flamengo foi presidido por Eduardo Bandeira de Mello. Apesar do desempenho considerado ruim dentro das quatro linhas, o mandato do ex-executivo do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) sanou dívidas e se tornou referência em gestão financeira no futebol sul-americano. Em entrevista ao Esporte News Mundo, Bandeira avaliou a continuidade do trabalho da atual diretoria do clube nesse campo (financeiro).

– Eu voltei a ser torcedor, então eu não estou acompanhando os detalhes, mas tenho amigos que frequentam as reuniões do conselho, tenho amigos no conselho fiscal e tudo. O endividamento do Flamengo subiu por conta da pandemia, mas isso não é necessariamente um problema. O que eu acho é que os conselheiros, sócios e torcedores do Flamengo tem que estar permanentemente atentos para questões de responsabilidade financeira -, disse, antes de completar:

Publicidade

– Se todos estiverem atentos, acredito que não teremos problemas. Eu não sei de nada que aponte para uma uma queda na saúde financeira do clube. Se tiver, acho que todo mundo tem que estar de olho, porque essa foi uma conquista que veio a custa de muito sacrifício e não pode ser jogada fora. Vamos trabalhar e continuar torcendo para que as coisas continuem nos trilhos.

Apesar das dificuldades impostas pela pandemia do novo coronavírus, o Flamengo tem conseguido se manter saudável no âmbito financeiro. E uma das ações do clube para tal está na venda de jogadores, o que alivia a folha e gera receita. Entre os nomes que saíram neste período, por exemplo, estão Rodrigo Muniz, vendido ao Fulham por  8 milhões de euros (R$ 48 milhões) e Gerson, negociado com o Olympique de Marselha por 20 milhões de euros (R$ 122,85 milhões na cotação atual).

Por outro lado, o Mengo se reforçou na última janela de transferências, o Rubro-Negro realizou três contratações de peso. Andreas Pereira e Kenedy chegaram por empréstimo de Manchester United e Chelsea, respectivamente. Além da dupla, o Mais Querido acertou com David Luiz, que estava livre no mercado.

 

Publicidade