Clubes já perderam mais de meio bilhão sem público

29
Clubes já perderam mais de meio bilhão sem público
Clubes já perderam mais de meio bilhão sem público
Publicidade
Clubes já perderam mais de meio bilhão sem público
Clubes já perderam mais de meio bilhão sem público

Há pouco mais de um ano, a CBF suspendia as competições nacionais por tempo indeterminado por conta da pandemia de coronavírus. O futebol voltou, mão o público não. Sem receitas do dia do jogo desde então, os clubes acumulam mais de R$ 500 milhões em prejuízo. Esse é o valor estimado pelo consultor da EY Pedro Daniel, que admite ser impossível dar um número exato.

Para chegar a essa estimativa, é preciso entender como a presença de público impacta nas finanças dos clubes. O levantamento da EY em cima das contas dos times em 2019 demonstra que a arrecadação com matchday (dia de jogo) foi de R$ 952 milhões para os vinte maiores do país. Inclui-se nessas rendas as bilheterias de jogos e os sócios-torcedores.

Publicidade

Não dá para calcular toda essa receita como perdida pelos clubes. A bilheteria foi, de fato, zerada. Mas o sócio-torcedor se manteve, mesmo que em níveis mais baixos. Além disso, há o fator de que a arrecadação de macthday foi inflacionada pela histórica campanha do Flamengo na temporada de 2019.

“Os números de 2019: o Flamengo ganhou a Libertadores e Brasileiro e alavancou muito esse número. Imagino que 2020 teria diminuído um pouco. Pensando para 2021, projeção quase impossível, caso não existisse a pandemia, entendo que cresceria”, analisou Pedro Daniel.

Para termos uma referência, todo o Brasileirão de 2019 gerou uma receita de bilheteria de R$ 282 milhões. Na Copa do Brasil, a bilheteria daquele ano gerou um total de R$ 56 milhões. Ou seja, só nos dois principais campeonatos a perda seria de R$ 338 milhões. Há ainda rendas de Libertadores, Sul-Americana e Estaduais.

Somam-se a isso as perdas com sócios-torcedores, que não foram iguais entre os times. O Grêmio, por exemplo, manteve a maior parte dos seus sócios com uma política agressiva de vantagens.

Flamengo e Vasco chegaram a ter em torno de 150 mil torcedores cada no final de 2019. Na atual contagem, o clube rubro-negro tem 60 mil associados, e o Vasco 76 mil.

“Bilheteria está 100% cortada, e grande parte de sócio-torcedor. Não é toda, mas grande parte porque tem essa correlação (com a presença no jogo)”, declarou Pedro Daniel.

Retirado de: UOL

Publicidade