Cresce insatisfação da diretoria do Benfica com Jorge Jesus

228
"Gabriel é um dos melhores atacantes do mundo", diz Jorge Jesus
"Gabriel é um dos melhores atacantes do mundo", diz Jorge Jesus
Publicidade

UOL: Bruno Andrade

As duas goleadas consecutivas para o Bayern de Munique (4 a 0 e 5 a 2) e a perda da liderança no Campeonato Português para o rival Porto foram determinantes para o clima ferver nos bastidores do Benfica. Curiosamente, tudo isso depois de uma vitória convincente e animadora por 3 a 0 em cima do Barcelona.

Publicidade

Nos últimos sete jogos, os encarnados venceram apenas em duas ocasiões, sendo uma delas contra o modesto Trofense, na Taça de Portugal, cujo resultado final (2 a 1) foi obtido somente na prorrogação. É o pior momento vivido por Jorge Jesus na atual temporada. Dentro e fora das quatro linhas.

A queda de rendimento (técnico, tático, físico e também psicológico) do time coincide com uma onda cada vez maior de insatisfação por parte de alguns jogadores, muitas vezes de forma pública. Pelo menos cinco já discutiram ou pelo menos contestaram o treinador durante uma partida: Darwin Núñez, Rafa, Gilberto, Meité e mais recentemente Lucas Veríssimo.

Nesta quinta-feira, o jornal português Correio da Manhã publicou ainda que Otamendi, um dos mais experientes do elenco benfiquista, está incomodado com a postura e o tom das cobranças de Jesus no dia a dia. Teria, inclusive, ameaçado pedir para ser negociado.

Internamente, sobretudo numa visão política, a pressão também tem sido forte em cima de Jesus. O recém-eleito presidente Rui Costa já pediu explicações sobre os recentes tropeços da equipe, que em duas temporadas investiu aproximadamente 150 milhões de euros (R$ 972 milhões) em reforços.

“É nestes momentos que se exige equilíbrio. Equilíbrio para se exigir sempre mais. Equilíbrio também para perceber o que nos fez perder cinco pontos nos últimos três jogos do campeonato”, disparou o ídolo do Benfica.

As declarações do ex-jogador e agora dirigente máximo do clube da Luz surgiram logo após JJ desfrutar do carinho recebido pela torcida do Flamengo, que tem cantado o seu nome no Maracanã, e principalmente deixar o futuro em aberto.

“Se fico satisfeito por ser acarinhado pelos torcedores? Só não ficava se fosse insensível. Foram imagens que me tocaram. Não sei o meu futuro, o meu contrato termina no final da temporada e a minha mala está sempre feita. Um treinador vive dos resultados. Neste momento, o Benfica é a minha casa. Vim para Portugal com um objetivo bem definido”, explicou o treinador.

Jorge Jesus tem contrato com o Benfica até junho de 2022. O cenário de renovação está cada vez mais distante, seja na visão do clube, seja na visão do próprio treinador.

Volta ao Brasil?
Com Renato Gaúcho na corda bamba, a sombra de Jorge Jesus “assusta” o Flamengo, onde brilhou com a conquista de cinco títulos. Até agora, não houve qualquer contato oficial para discutir uma possibilidade de regresso ao Rubro-Negro. Em conversas recentes com pessoas próximas, o treinador português, na verdade, admitiu o desejo de dirigir a seleção brasileira depois da Copa do Mundo no Qatar.

 

Publicidade