Agressivo no mercado, Rubro-Negro ainda quer lateral-esquerdo e atacante para encerrar ciclo de contratações em 2019. Dirigentes seguem na Europa

Apertem os cintos porque o Flamengo está no mercado. Mais agressivo do que nunca, o Rubro-Negro anda agitando o mundo da bola com transferências milionárias em 2019. Com a abertura da janela internacional em julho, o clube fechou com mais três reforços do futebol europeu e se aproximou de R$ 200 milhões investidos em contratações só nesta temporada. E não deve parar por aí.

A nova diretoria rubro-negra, encabeçada pelo presidente Rodolfo Landim, assumiu com os cofres cheios das vendas de Vinicius Junior e Lucas Paquetá por € 45 milhões e € 35 milhões respectivamente (cerca de R$ 164 milhões e R$ 150 milhões nas cotações da época – o clube recebeu nessa última aproximadamente R$ 100 milhões pelos 70% que detinha). E com a torcida ávida por títulos de expressão, prometeu montar um time forte para buscar grandes conquistas.

Rafinha com os dirigentes Marcos Braz e Bruno Spindel: ala estava livre no mercado — Foto: Divulgação/Flamengo Rafinha com os dirigentes Marcos Braz e Bruno Spindel: ala estava livre no mercado — Foto: Divulgação/Flamengo
Rafinha com os dirigentes Marcos Braz e Bruno Spindel: ala estava livre no mercado — Foto: Divulgação/Flamengo

No primeiro trimestre, o Flamengo movimentou R$ 137.924 milhões na aquisição de jogadores, como revelado pelo bancelete do clube divulgado no mês passado. Foram R$ 80.354 milhões para a contratação de Arrascaeta, R$ 26.787 milhões para a de Bruno Henrique e R$ 24.559 milhões para a de Rodrigo Caio. O documento contabiliza ainda valores de luvas e intermediações, como por exemplo R$ 4.057 milhões com Gabigol e R$ 849 mil com Diego. É importante ressaltar que, na maioria dos casos o pagamento é parcelado. Nem tudo será pago em 2019.

Após se concentrar no mercado nacional, o clube atacou em frentes internacionais – exceto pela aposta no lateral-direito João Lucas, do Bangu. O primeiro mochilão na Europa rendeu só um reforço: Rafinha, livre no mercado. Mas o Fla voltou com tudo ao Velho Continente esta semana e acertou mais duas contratações: Gerson e o espanhol Pablo Marí, comprados por cerca de € 11,8 milhões e € 1,3 milhão respectivamente (aproximadamente R$ 49,7 milhões e R$ 5,4 milhões).

Fla gastou um valor considerado baixo, mas não divulgado pela aposta João Lucas — Foto: Divulgação/Flamengo Fla gastou um valor considerado baixo, mas não divulgado pela aposta João Lucas — Foto: Divulgação/Flamengo
Fla gastou um valor considerado baixo, mas não divulgado pela aposta João Lucas — Foto: Divulgação/Flamengo

Os valores das últimas transações ainda não foram anunciados de forma oficial, mas somados com os do primeiro trimestre já totalizam R$ 193 milhões. Com as cifras de luvas e intermediários, o montante beira os R$ 200 milhões. Em entrevista ao GloboEsporte.com no mês passado, Wallim Vasconcellos, vice-presidente de finanças rubro-negro, garantiu que o clube gastou dentro do orçamento e já previa recursos para novas aquisições de direitos federativos no segundo semestre:

– Recursos existem. Mas terei que mudar o orçamento, se for o caso. Teríamos que levar ao conselho e mostrar de onde vem o dinheiro. Se forem só luvas e salários, tem que saber se cabe dentro das despesas. Se não couber, será necessário fazer uma readequação orçamentária, levar e aprovar no Conselho de Administração e, aí sim, fazer essa despesa – disse o dirigente, na ocasião.

– Nesse ano, as contratações estão bem. Mas nem sempre é assim. Às vezes a camisa pesa. Cansamos de ver isso. Geralmente a aprovação é unânime. E já falei para o Marcos Braz: “Pereba eu não trago. Traga jogador bom. Para o bom a gente arruma dinheiro. Pereba não adianta que eu não vou assinar o cheque (risos)” – brincou Wallim.

Mais dois para fechar o elenco?

Campeão da Copa América com o Brasil, Filipe Luís é o plano A para a lateral

O Flamengo ainda planeja contratar mais dois jogadores para preencher as carências e fechar o elenco: um lateral-esquerdo e um atacante, pedido pelo novo técnico Jorge Jesus. O vice de futebol Marcos Braz e o diretor executivo Bruno Spindel seguem na Europa em busca de novos nomes.

Para a ala, o Flamengo espera uma resposta da proposta feita para Filipe Luís, que está livre no mercado após encerrar o contrato com o Atlético de Madrid, mas estuda outros nomes, como por exemplo de Guilherme Arana, ex-Corinthians. Para o ataque, o Rubro-Negro tentou recentemente Pedro, do Fluminense.

Mas para buscar mais opções, a diretoria terá que correr. A janela internacional fecha no fim do mês, e o prazo para inscrição para jogar as oitavas de final da Libertadores termina no dia 21 de julho – depois, o clube poderá fazer duas mudanças na lista até 72 horas antes das quartas de final e da semifinal. Para o Campeonato Brasileiro, o período é maior e vai até 30 de agosto, com direito a cinco substituições até 27 de setembro. O prazo para a Copa do Brasil já se encerrou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui