Flamengo terá de reajustar orçamento por crer em volta da torcida

33
Flamengo terá de reajustar orçamento por crer em volta da torcida
Flamengo terá de reajustar orçamento por crer em volta da torcida
Publicidade

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo – Foto: Paula Reis

GOAL: Raisa Simplicio

Publicidade

A temporada 2021 acabou de começar, mas o Flamengo já vai precisar rever o seu orçamento. Isso porque a diretoria rubro-negra estipulou jogos com o Maracanã cheio em abril e estimou uma receita de R$ 170 milhões com estádio, sendo R$ 100 milhões apenas com bilheteria.

O orçamento foi aprovado em meados de dezembro e gerou questionamentos da oposição. Hoje, menos de três meses depois, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou novas medidas de restrição na cidade para conter a pandemia. Entre elas, a proibição de pessoas permanencerem em locais públicos horário entre 23h e 5h.

Paes explicou que o cenário no Rio de Janeiro não é tão tenebroso, mas com a tendnência de alta,segundo o comitê científico da cidade, ele decidiu se antecipar e decretou as novas restrições. Internamente, entre os dirigentes dos clubes da cidade, há um grande pessimismo em relação a volta do público ainda no primeiro semestre deste ano. Marcos Braz, vice-presidente de futebol do e vereador no Rio de Janeiro, externou esse sentimento.

“Eu como vereador aqui no Rio, tenho algumas informações, como vocês também. Estou muito pessimista – com a volta do público. Em relação a velocidade da vacinação no Rio de Janeiro e no Brasil. Esse é um impacto na veia do orçamento do clube. Acho pouco provável ter 70 mil de público nos estádios. Não é só o Flamengo que vai sangrar, todo clube popular vai sangrar”, disse o mandatário ao UOL.

Na última quarta-feira (03), Lisca, técnico do América-MG, fez um desabafo em relação ao seguimento de competições nacionais durante o aumento de casos de Covid-19 no Brasil.

“O repórter me perguntou como eu me sentia com mais três casos de covid-19 na minha equipe, dez no total, inclusive com cinco reinfecções. As pessoas não estão se dando conta disso. E tu conhece a realidade do futebol. O que aparece para nós é 1%. Na Copa do Brasil, tem clubes que não têm condições de fretar avião, deixar os jogadores em ala separada no hotel, seguir os protocolos, as pessoas falam que precisam de entretenimento, precisam do futebol.

É questionável, mas tudo bem. Se é para fazer, vamos fazer só os estaduais, com mais controle, mais isolamento, sem contato. Meu medo é o potencial de transmissão da Copa do Brasil. Imagina uma delegação do Rio Grande do Sul ir para Manaus, Roraima, Minas Gerais. Tem que passar por aeroporto, fazer escalas. Esse vírus passa muito mais rápido, propaga mais, mata mais”, exemplificou o comandante”.

Em dezembro, a tese da diretoria do Flamengo era a de que em abril a vacinação estaria bem avançada e a pandemia mais controlada. Por isso, o Rubro-Negro já se movimenta internamente para fazer ajustes no orçamento.

Outro ponto de dificuldade no planejamento financeiro de 2021, são as metas agressivas relacionadas aos patrocínios. O Flamengo estimou um aumento de 40% mas tem encontrado dificuldades para fechar as mangas e as costas da camisa de jogo. A primeira, por exemplo, sem patrocinador há oito meses.

Publicidade