João Gomes abre mão de férias para defender o Flamengo

55
João Gomes abre mão de férias para defender o Flamengo
João Gomes abre mão de férias para defender o Flamengo
Publicidade

João Gomes fazendo o “punho cerrado” da Raça Rubro-Negra com troféu de campeão Brasileiro – Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

GLOBO ESPORTE: Por Felipe Schmidt

Publicidade

Quando o Flamengo começou a planejar o início da temporada de 2021, com previsão de folga para o elenco principal, o jovem João Gomes foi o primeiro a se manifestar e pedir para jogar o Campeonato Carioca. As férias do volante duraram apenas três dias. Depois de um fim de semana, ele se reapresenta nesta segunda-feira no Ninho do Urubu, junto com Matheuzinho, Natan, Rodrigo Muniz e Gabriel Batista.

Destaque na reta final do Campeonato Brasileiro, quando se tornou peça frequente entrando no segundo tempo, Gomes não quis perder o ritmo. No Carioca, terá a chance de ter ainda mais espaço, num grupo inicial repleto de meninos da base.

– Para mim, é um prazer vestir a camisa do Flamengo. Claro que eu gostaria de férias, como todos os jogadores, mas o prazer de vestir essa camisa é maior que tudo. Eu encaro este Carioca como todos os campeonatos, porque quando eu entro em campo com a camisa do Flamengo, eu defendo esse gigante que se alimenta de vitórias – disse o volante, em entrevista ao ge.

A trajetória de Gomes no elenco profissional foi rápida, sem tempo para adaptação. Inscrito de surpresa na Libertadores, viajou com o elenco para o Equador, quando o time perdeu de 5 a 0 para o Independiente del Valle e quase todo o grupo contraiu Covid-19.

Desde então, Gomes foi se integrando ao grupo. A lesão de Thiago Maia abriu espaço no meio-campo, e o jovem passou a ser mais utilizado. Em campo, agradou à torcida pela disposição, a qualidade na marcação e a facilidade para sair jogando. Para conseguir se adaptar, um nome foi importantíssimo: Willian Arão.

– Na verdade, a gente não tem muito tempo pra se adaptar, porque estamos no meio de uma temporada e são jogos em que não podemos errar. Eu sou volante, então, pedi muita informação para o Arão. Ele é uma pessoa que me ajudou muito por conhecer mais da posição e ser um especialista. Ele é um cara que eu admiro muito – contou Gomes.

Na base, o volante se habituou a jogar com mais liberdade, atuando como segundo homem de meio-campo. No profissional, a oportunidade surgiu numa função mais recuada. Tal como Arão, Gomes encarou o desafio, deu um passo atrás e colheu frutos.

– Para mim, (jogar como primeiro volante) é um pouco diferente por conta das minhas características. Mas eu conversei muito com o Arão, e ele me orientou bastante. Além de tudo isso, estou aqui para ajudar o Flamengo, seja em que posição for. Essa função também foi algo que eu vivi na base. Com os conselhos do Arão e minha vivência na base, se tornou mais fácil – completou.

Gomes chegou ao Flamengo com oito anos. Cria do Piscinão de Ramos, na Zona Norte do Rio de Janeiro, o menino batalhou para conseguir espaço no clube e chegar aos profissionais.

Ativo nas redes sociais, Gomes não deixou de valorizar suas origens e seu amor pelo clube com as conquistas. A mãe, Monique, também lembrou um diálogo em 2019, quando João ainda estava na base.

A ficha pelo que ele alcançou em 2020, porém, ainda não caiu.

– Eu ainda penso que sou um menino do Piscinão de Ramos, comunidade onde eu fui nascido e criado. É um misto de sentimentos inexplicáveis, algo muito gratificante por tudo que passamos. Não era algo esperado (ter espaço no profissional tão cedo), pois tinham muitos jogadores a minha frente. Todos eles com inúmeras qualidades e renomados. Não tem outra forma de explicação a não ser muito trabalho duro e dedicação, e eu me identifico muito com o clube.

Com contrato renovado até 2025, Gomes poderá em 2021 se consolidar no elenco profissional rubro-negro. O primeiro passo desta nova fase acontece nesta terça-feira, na estreia do Flamengo contra o Nova Iguaçu, pelo Campeonato Carioca.

Publicidade