Juca Kfouri: Jorge Jesus incomparavelmente fez uma revolução no futebol brasileiro

25
Juca Kfouri diz que não dá pra comparar trabalho de Abel Ferreira com de Jorge Jesus
Juca Kfouri diz que não dá pra comparar trabalho de Abel Ferreira com de Jorge Jesus
Publicidade

UOL: O português Abel Ferreira encerrou a temporada 2020 com dois títulos importantes no comando do Palmeiras, os dois primeiros de sua carreira como treinador, ao vencer a Libertadores e a Copa do Brasil, o que levou a comparações de seu trabalho com o de Jorge Jesus na temporada anterior pelo Flamengo, quando venceu o Brasileirão e também a Libertadores.

No podcast Posse de Bola #106, Juca Kfouri concorda com a opinião de Mauro Cezar Pereira e afirma que não é comparável o trabalho de Abel ao de Jesus pelo fato de o treinador de 66 anos ter conseguido não apenas os resultados, mas também uma forma de jogo mais atraente no comando do Flamengo.

Publicidade

“O Abel é o primeiro técnico estrangeiro a ganhar uma Copa do Brasil, isso já dá um pouco a medida. Mais uma vez, no ano de 2019 chegou aí um português, ganhou o Brasileirão, ganhou a Libertadores, agora chegou outro e ganha também a Libertadores, ganha a Copa do Brasil”, diz Juca.

“Estou de pleno acordo com o Mauro, qualquer comparação com o Jorge Jesus é absolutamente descabida por uma razão simplíssima: qualidade de futebol. O que chamou a atenção no Jorge Jesus foi menos o fato de o Flamengo ser campeão de tudo o que disputou, exceção feita à Copa do Brasil e ao Mundial, por detalhe não ganhou do Liverpool, mas o que chamou a atenção no Jorge Jesus foi o futebol que ele fez o time do Flamengo jogar, à brasileira, o futebol que nós brasileiros gostamos, não é o caso do Abel Ferreira, pelo menos por enquanto”, completa.

O jornalista afirma que o torcedor palmeirense está satisfeito com Abel Ferreira após os títulos conquistados, mas que como crítico ele se atenta à forma como ele montou o seu time em relação ao que Jorge Jesus fez e considera que o ex-técnico do Flamengo fez uma revolução no futebol brasileiro em 2019.

“Ele [Abel] não é adepto do lúdico, ele é adepto do pragmático, eu não estou criticando, estou dizendo que cada um escolha o seu jeito de fazer as coisas e é óbvio, o torcedor do Palmeiras está felicíssimo em ser campeão deste jeito. Ponto. Isso é atitude do torcedor. O crítico olha e vê aquilo que agrada mais aos olhos, agrada mais esteticamente”, diz Juca.

“O Jorge Jesus, incomparavelmente, fez uma revolução no futebol brasileiro, uma ruptura. Você pode até dizer ‘mas uma ruptura olhando para o passado’. É isso, ele trouxe de volta o prazer de a gente ver um time brasileiro jogar bola. Já tinha acontecido antes? Opa, muito, mas fazia tempo que não acontecia, o Jorge Jesus trouxe isso”, completa.

Comparações à parte, o jornalista ressalta que Abel Ferreira conclui a temporada de 2020 como o melhor técnico do futebol brasileiro pelos títulos que conquistou em seu pouco tempo no comando do Palmeiras, tendo chegado apenas em novembro.

“É claro que você pega um treinador que está aí desde setembro, é campeão da Libertadores, é campeão da Copa do Brasil, você pergunta ‘qual é o técnico que é o rei da temporada 2020?’. Ele ganhou dois dos quatro torneios que disputou. Agora, aconteceu o que aconteceu contra o River Plate, aconteceu o que aconteceu lá no Qatar, isso tem que ser levado em conta”, conclui.

Publicidade