Sormani critica Arrascaeta e meia do Flamengo debocha em rede social

12
Sormani critica Arrascaeta e meia do Flamengo debocha em rede social
Sormani critica Arrascaeta e meia do Flamengo debocha em rede social
Publicidade

Com 25 anos de pura habilidade e categoria, Arrascaeta é um dos grandes ídolos rubro-negros da atualidade. A criatividade do uruguaio é notada e elogiada, tanto pela torcida do Flamengo, quanto por diversos jornalistas e comentaristas esportivos do país.

O que aparenta, no entanto, é que o meia não enche os olhos de Fábio Sormani, da ESPN. Em programação que foi ao ar nesta segunda-feira (05) do canal esportivo, o jornalista criticou a admiração que existe pelo camisa 14 do Fla.

Publicidade

“Arrascaeta é muito bom, mas não é o jogador que a torcida do Flamengo acha que ele é. Não é. Ele não se firmou até agora na seleção do Uruguai. Tem 25 anos e nunca despertou interesse nem da periferia da Europa. Que jogador é esse, então? Ele é tudo isso?”, disse Sormani.

A declaração do jornalista foi parar na internet, onde Arrascaeta fez questão de responder ironicamente a afirmação de Sormani.

“63kg de alcatra limpinha meu amigo“, disse Arrasca.

Confira a publicação em questão:

Entenda o contexto

Não é a primeira vez que o jornalista citado critica o uruguaio. Ao que se parece, toda a influência do atleta no Flamengo também não é válida. Em janeiro deste ano, quando o os jogadores rubro-negros cantavam a música da banda uruguaia The Party Band, ”Si nos organizamos cojemos todos”, Sormani também não gostou da escolha de uma música estrangeira para expressar o sentimento do momento.

“O cancioneiro popular brasileiro não tem música para relatar esse tipo de coisa, né?”, afirmou com ironia, antes de completar:

“A nossa música é pobre. Não produzimos muita coisa ao longo dos tempos: Bossa Nova, MPB, Chorinho, tem pouca coisa. Nós precisamos mesmo buscar alguma coisa no Uruguai ou na Argentina para comemorar. Vou falar um negócio para você: se você confrontar nossa música com qualquer música da América Latina – à exceção de Cuba -, não dá para comparar. Música brasileira, cubana e americana são os maiores acervos de música do planeta. (…) É mais fácil recorrer a outras músicas que ouvir a nossa música, ir atrás das nossas raízes, riquíssimas”, finalizou.

Na ocasião, Bruno Vicari justificou a situação e afirmou que a letra da música tinha tudo a ver com o pensamento do elenco do Flamengo naquele momento.

“Mas essa frase: ‘se nos organizamos, não tem para ninguém’ é tudo o que o Flamengo quer: se reorganizar e mostrar que tem potencial. Isso é muito significativo. Aí junta a rivalidade com o Palmeiras, a situação no campeonato e tudo o que o grupo está querendo no ano, que é mostrar, é significativo”, afirmou o comentarista.

Publicidade