Cotado para assumir o futebol do Palmeiras, dirigente português pode ‘ajudar’ o clube a contratar James Rodríguez

0
LIVERPOOL, ENGLAND - FEBRUARY 14: James Rodriguez of Everton looks on during the warm up prior to the Premier League match between Everton and Fulham at Goodison Park on February 14, 2021 in Liverpool, England. Sporting stadiums around the UK remain under strict restrictions due to the Coronavirus Pandemic as Government social distancing laws prohibit fans inside venues resulting in games being played behind closed doors. (Photo by Michael Regan/Getty Images)
Publicidade

TORCEDORES:  O português Luís Campos, ex-diretor do Lille-FRA e que ainda acumula passagens por clubes como Monaco e Real Madrid, é cotado para assumir o cargo de diretor executivo de futebol do Palmeiras a partir de 2022, na vaga de Anderson Barros, atual dirigente do Verdão. A informação foi divulgada inicialmente pelo blog do jornalista Alexandre Praetzel, que destacou a amizade com Abel Ferreira e afirmou que o treinador só pretende ficar no clube para a próxima temporada se o elenco “for fortíssimo para ganhar tudo, com a chegada de reforços” – e Campos é um bom nome para ajudar nessa missão.

Com destaque nas funções de ‘scout’ e diretor executivo, Luís Campos foi responsável por participar de diversas negociações importantes do futebol europeu, entre elas, duas transferências envolvendo o meia colombiano James Rodríguez, hoje no Al Rayyan, do Catar, e que tem sido especulado como possível reforço do Palmeiras para a próxima temporada.

Publicidade

Quando estava no Monaco, da França, Luís Campos foi peça importante na contratação de James Rodriguez, então no Porto-POR, por € 45 milhões (cerca de R$ 120 milhões na época). A transferência do meia colombiano em 2013 era a maior contratação da história do futebol francês até aquele momento.

Depois de se destacar pelo clube francês, e também na Copa do Mundo de 2014, disputada no Brasil, James Rodríguez foi negociado com o Real Madrid por € 75 milhões (cerca de R$ 225 milhões na época) e assumiu a camisa 10 – a negociação também foi conduzida por Luís Campos. Pelo clube espanhol,  o meia conquistou dois títulos da Champions League, duas vezes o Mundial de Clubes, duas taças do Campeonato Espanhol, além de Supercopa da Uefa e Supercopa da Espanha.

Desde a saída do Real Madrid, o colombiano passou por Bayern de Munique e Everton-ING, antes de desembarcar no Al Rayyan por empréstimo até maio de 2022 – vale lembrar que o jogador de 30 anos pertence ao clube inglês.

Recentemente, o nome de James Rodríguez passou a ser especulado no Palmeiras depois que o apresentador Neto falou sobre o interesse de Leila Pereira, candidata única à presidência do Verdão, em ter o colombiano – além de Edinson Cavani, do Manchester United – como reforço para 2022. A eventual chegada de Luís Campos poderia ajudar na negociação, considerando que o dirigente português conhece muito bem o jogador e seu estafe.

Estratégia para montar elencos:

Em uma entrevista recente ao jornal português ‘Record’, Campos, que está sem clube desde que deixou o Lille-FRA, em 2020, explicou como trabalha na montagem de um elenco, fazendo observações de jogadores por vídeo e ‘ao vivo’.

— Construir uma equipe é como construir um ‘puzzle’. Não basta ser só bom jogador, é preciso que as peças encaixem até fazerem clique. O futebol é coletivo e o maior erro do scouting, na minha opinião, é escolher jogadores que até podem ser bons, mas que não encaixam no modelo de jogo da equipe. Eu utilizo o ‘fast scouting’. É uma rede que, em poucos minutos, me dá a informação se o jogador tem o perfil tático da equipe e uma avaliação das suas qualidades mais importantes. Os dados estatísticos também são muito importantes. Se for um jogador muito interessante, entra numa linha de observação, primeiro numa análise em vídeo e depois ao vivo. A análise ao vivo é fundamental, porque não acredito que só a análise em vídeo seja suficiente para contratar um jogador. Pode até ser, mas a margem de erro é muito maior. Outro fator importante é o contato. Acho importante beber um café, almoçar ou jantar com o jogador antes de contratá-lo e perceber toda a sua linguagem corporal, que nos dá dados importantes – disse Luís Campo na ocasião.

retirado do site torcedores

Publicidade