Miranda e Éder têm o desafio de reescrever o roteiro de contratações vindas da China

6
Miranda e Éder têm o desafio de reescrever o roteiro de contratações vindas da China
Miranda e Éder têm o desafio de reescrever o roteiro de contratações vindas da China
Publicidade

GazetaEsportiva

As últimas experiências do São Paulo com jogadores contratados do futebol chinês não foram das mais positivas. Nesta temporada, o Tricolor espera que Miranda e Éder possam reverter essa lógica e mostrar que podem atuar em alto nível no Brasil.

Publicidade

Em 2018, o clube do Morumbi acertou o retorno de Hernanes, que à época defendia o Hebei Fortune, da China. Depois do excelente desempenho do jogador 2017, o Tricolor esperava que o Profeta seria peça chave do time para a próxima temporada. No entanto, o meio-campista voltou ao Brasil com diversos problemas físicos, não conseguindo engrenar em campo.

Já em março de 2019, o São Paulo repatriou Alexandre Pato, que também teve passagem de destaque pelo clube do Morumbi entre 2014 e 2015. Antes de desembarcar no Brasil, o atacante havia rescindido com o Tianjin Tianhai. Aqui, oscilou demais e não conseguiu justificar o alto investimento feito pelo Tricolor, deixando o time no ano passado.

Apesar das idades avançadas, Miranda (34) e Éder (36) foram destaques do futebol chinês na última temporada. Ambos fizeram parte do grupo do Jiangsu Suning, que conquistou o campeonato nacional. O zagueiro esteve em campo em 19 das 20 partidas, enquanto o atacante não esteve ausente em nenhum jogo.

Miranda assinou contrato por até o final de 2022 e foi anunciado pelo Tricolor no início da semana passada, participando dos treinamentos com os seus companheiros desde então. Enquanto isso, Éder fará exames médicos nos próximos dias antes de assinar o seu vínculo, que será válido por duas temporadas.

Publicidade