Permissão para treinar vira principal impasse para futuro de times de SP

4
Permissão para treinar vira principal impasse para futuro de times de SP
Permissão para treinar vira principal impasse para futuro de times de SP
Publicidade

Campeonato Paulista de 2021 tem sede indefinida com a determinação do Governo - Divulgação/FPFCampeonato Paulista de 2021 tem sede indefinida com a determinação do Governo Imagem: Divulgação/FPF

Danilo Lavieri – Colunista do UOL*

*Com Marcel Rizzo, Pedro Lopes e Ricardo Perrone

Publicidade

Há um impasse sobre a permissão para os treinos dos times paulistas no Estado de São Paulo. Os clubes e a federação local entendem que o Governo não foi claro o suficiente sobre o funcionamento dos centros de treinamento e que apenas as partidas estão vetadas. Já o recado oficial enviado pelo Palácio dos Bandeirantes à reportagem é que nem os CTs poderão abrir.

O tema irá para a mesa no novo encontro que será feito na próxima segunda-feira (12), após a rodada do fim de semana que ainda poderá ser realizada. A Federação Paulista de Futebol vai, mais uma vez, argumentar com Ministério Público, clubes e Governo que o futebol é um ambiente seguro e vai tentar negociar a oficialização da liberação dos treinos e até mesmo argumentar que a suspensão do futebol não é necessária.

Desde o início, federações, detentores de direitos de transmissão e clubes mostravam muita preocupação com a paralisação por dois grandes motivos. O primeiro é o aspecto financeiro. Os clubes ainda não conseguiram se recuperar dos efeitos da primeira parada, no ano passado, e veriam o buraco aumentar ainda mais caso a bola parasse de novo.

Por conta disso, no primeiro sinal do Governo de que os jogos seriam proibidos, iniciou-se a articulação para mandar jogos em outro Estado. O Rio de Janeiro foi o primeiro a ser cogitado, mas o governador negou a possibilidade, o que faz os paulistas pensarem em outros lugares.

Com a solução dessa questão, o calendário também ficaria a salvo. Uma nova parada praticamente inviabilizaria a realização de todos os jogos novamente sem que os times tivessem maratonas semelhantes às do Palmeiras recentemente.

Além da questão da grana, ainda há a preocupação com as outras competições que estão em andamento. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e a Conmebol deixaram claro que não pretendem paralisar a Copa do Brasil, a Sul-Americana e a Libertadores.

Com isso, os times precisariam encontrar uma nova sede para que a tabela continuasse a ser cumprida normalmente. No caso das competições sul-americanas, os times indicaram previamente um “estádio de emergência”. Para a competição nacional, os times se articulam por novas sedes.

Mas o problema não é 100% solucionado com essas novas sedes. Se não puderem treinar, os times teriam que buscar um lar temporário para que seus atletas conseguissem não só disputar os campeonatos, mas também para continuarem em ritmo de jogo para as outras competições. Por exemplo: o Santos joga no próximo dia 16 na Libertadores, e o Corinthians estreia na Copa do Brasil no dia 17. Apesar de ambos atuarem fora de casa, eles precisam de um lugar para treinar até lá.

Já Marília, Mirassol e Bragantino jogam pela Copa do Brasil nos dias 17 e 18 e aí precisam não só encontrar onde treinar até lá, mas também novas sedes para as partidas.

Publicidade