São Paulo de Crespo repete erros de Diniz em primeira derrota da temporada

6
São Paulo de Crespo repete erros de Diniz em primeira derrota da temporada
São Paulo de Crespo repete erros de Diniz em primeira derrota da temporada
Publicidade

UOl – Thiago Fernandes: O São Paulo repetiu erros da época de Fernando Diniz em sua primeira derrota sob a batuta de Hernán Crespo. No tropeço por 2 a 1 para o Novorizontino, o time falhou em aspectos que ditaram a tônica dos últimos compromissos com o antigo treinador. Houve falha no sistema defensivo e também na transição entre a defesa e o ataque. Os principais equívocos do elenco na tarde de ontem (13) foram na saída de bola, na transição entre defesa e ataque e em lances de criação de jogadas, sobretudo no primeiro tempo. Os três problemas remetem à reta final da passagem de Diniz pelo banco de reservas.

Com três atletas na linha defensiva — Rodrigo Freitas, Luan e Bruno Alves estiveram no setor —, o São Paulo fez à exaustão os lances de saída de bola trabalhada. Tiago Volpi e os demais homens da retaguarda evitaram ligação direta em prol do jogo apoiado desde a pequena área. Logo no início da partida, um erro de Igor Vinícius em um destes lances culminou em boa chance de Danielzinho. O camisa 11 do Novorizontino, por pouco, não abriu o placar após a falha.

Publicidade

A “saidinha”, como este tipo de jogada se popularizou durante o trabalho de Fernando Diniz, foi utilizada mais de uma vez na primeira etapa do jogo de ontem. O time voltou a cometer erros neste tipo de lance, inclusive na jogada que culminou no gol de Guilherme Queiroz no segundo tempo. Reinaldo tentou recuo na direção de Tiago Volpi, mas errou na força e entregou nos pés do atacante, que teve caminho livre para estufar a rede.

A transição da defesa para o ataque também ficou prejudicada no primeiro tempo. Com a linha de três defensores, Rodrigo Freitas atuou pelo lado direito, Luan se posicionou no centro e Bruno Alves foi aberto pelo lado esquerdo, ficou difícil encontrar meio-campistas para iniciar o construção ofensiva. Daniel Alves, Gabriel Sara e Rodrigo Nestor até se movimentaram no meio de campo, mas foram bem marcados e não conseguiram dar opção para os defensores no início da transição ofensiva. Os laterais Igor Vinícius e Reinaldo se tornaram as principais opções, mas também tiveram dificuldades para dar continuidade aos lances por causa da boa marcação adversária.

Por fim, também no primeiro tempo do jogo, o São Paulo cometeu erros na criação de jogadas. Com raras chances de balançar a rede, o time se limitou aos cruzamentos nos 45 minutos iniciais — houve duas jogadas pelos lados, mas sem esta característica (uma de Rodrigo Nestor e outra de Pablo). Porém as demais aconteceram desta forma.

Ciente de que o time não rendia na formação inicial, Crespo tentou manter a proposta, mas alterou o esquema tático — Rodrigo Freitas deixou o campo para a entrada de Joao Rojas. No início da segunda etapa, o São Paulo mostrou outra postura e passou a criar mais chances. O próprio técnico explica a alteração: “Foi porque a equipe estava perdendo. Rodrigo Freitas estava tranquilo e sereno. O São Paulo foi a equipe que propôs ocasiões de gol, e faltou muito pouco para fazê-lo. Tínhamos que mudar de alguma maneira”.

Publicidade