Dentista, militar e empresário: as profissões dos árbitros brasileiros

308
Publicidade

UOL: Os árbitros do futebol brasileiro não são profissionalizados pela CBF e, portanto, trabalham como autônomos nos principais jogos do país. Diante deste cenário, eles recebem um valor fixo por partida e conciliam a vida dentro dos campos com outras profissões no dia a dia – tem dentista, militar, empresário, professor e até funcionário público.

Lista em texto:

Publicidade

Anderson Daronco, 40 anos: professor de educação física

André Luiz de Freitas Castro, 47 anos: professor

Braulio da Silva Machado, 42 anos: professor de educação física

Bruno Arleu de Araújo, 38 anos: militar

Dewson Freitas, 40 anos: professor

Edina Alves Batista, 41 anos: professora de educação física

Elmo Resende da Cunha, 46 anos: policial militar

Flavio Rodrigues de Souza, 41 anos: representante comercial

Heber Roberto Lopes, 49 anos: professor de educação física

Leandro Pedro Vuaden, 46 anos: agente de esportes

Luis Flávio de Oliveira, 44 anos: comerciante

Marcelo de Lima Henrique, 50 anos: militar

Marielson Alves Silva, 39 anos: funcionário público

Paulo Robert 38 anos: representante comercial

Péricles Bassols, 46 anos: dentista

Rafael Traci, 40 anos: professor de educação física

Ricardo Marques Ribeiro, 42 anos: funcionário público

Rodolpho Toski Marques, 34 anos: empresário

Sávio Pereira Sampaio, 36 anos: micro empresário

Wagner do Nascimento Magalhães, 42 anos: administrador de empresas

Wilton Pereira Sampaio, 39 anos: professor de educação física

Publicidade