Palmeiras x Flamengo: decisão da Libertadores tem polêmica no Uruguai às vésperas do duelo

0
Publicidade

TORCEDORES: Daqui pouco mais de uma semana, Palmeiras e Flamengo irão medir forças no Estádio Centenário na briga pelo título da Copa Libertadores. Contudo, dias antes da bola rolar em Montevidéu, uma polêmica vem agitando os bastidores do embate: a possível proibição de bebida alcoólica.

Pronto para receber o principal embate do futebol sul-americano na temporada, o governo uruguaio tenta rever o cenário de limitação, uma vez que por conta da eleição do Banco da Segurança Social (BPS) ocorrer no mesmo final de semana da final entre Verdão e Fla, há uma lei seca imposta.

Publicidade

Entretanto, na última terça-feira (17), parlamentares da Câmara dos Deputados aprovaram um projeto de lei que visa suspender, apenas em caráter único, a lei seca durante o final de semana na decisão da Libertadores.

A proposta, que foi tratada de forma “séria e urgente”, foi acatada no mesmo dia no Senado e pode ser aplicada ainda nesta semana.

A Lei 7.812, também conhecida como “Lei Eleitoral”, estabelece no artigo 177 que “vinte e quatro horas anteriores ao encerramento da votação, até o término da votação, não será permitida a comercialização de bebidas alcoólicas”.

Junto ao projeto original, os senadores da oposição efetuaram apenas uma recomendação: manter o veto de comercialização de bebidas alcoólica em locais de votação que possuam cantinas. O pleito do Banco de Previsión Social (BPS), uma espécie de INSS uruguaio, está marcado para o dia 28 de novembro, um dia após Palmeiras x Flamengo.

 

Publicidade